Mudança de hábito: Segregar, mudar e Colaborar.

educação ambiental

| 13 de Julho de 2021 - by: Flávia Couto

Mudança de hábito: Segregar, mudar e Colaborar.


Empresas Ecologicamente Corretas

Mudança de hábito: Segregar, mudar e Colaborar.

Todo processo de mudança tende a ser dolorido. O verbo mudar traz consigo na conjugação esforço e atenção diária. Mudar hábitos antigos é muito difícil, mas não é impossível desde que se tenha um propósito claro que o motive a fazer as transformações, no ambiente e nas estratégias de ação.

É exatamente isso que está acontecendo comigo. Há três meses, fui observando dados, estatísticas, trocando informações e agregando conhecimento sobre a importância de segregar os resíduos que geramos. Antes eu não dava muita atenção a esse tema, então juntava tudo em uma sacola de supermercado e depositava na lixeira sem nenhuma culpa ou responsabilidade. Ingenuidade ou ignorância?

No fundo acredito que todos nós sabemos que não é correto misturar resíduos orgânicos com recicláveis e que a responsabilidade daquilo que acontece com ele depois é nossa. Contudo, por falta de hábito, interesse, informações precisas, falta de tempo e espaço acabamos deixando a desejar.

Passei a cuidar dos resíduos que geramos em casa com mais atenção. Separando o seco do molhado, diminuindo o uso de itens descartáveis, evitando impressões desnecessárias, optando por produtos concentrados e em embalagens menores ou reutilizáveis, e usando os produtos até o fim de sua vida útil.

A separação é parte essencial para fazer coleta seletiva em casa! Quanto mais separado por tipos (alumínio, papelão, plásticos, vidro, etc), melhor!

Mas não são só os recicláveis que você deve separar. Resíduos perigosos como remédios, pilhas e solventes também têm que ser separados.

São gestos simples de serem feitos e que o nosso planeta agradece. O lixo destinado de forma inadequada muitas vezes escapa para o meio ambiente, causando danos para animais e pessoas a curto e a longo prazo.

Melhor que destinar o resíduo corretamente, é não gerá-lo. Reutilizando ou diminuindo no consumindo. Isso mesmo, cada vez que for consumir algo, repense se é necessário mesmo, assim você evita uma maior produção de descartes.


Por fim, me sinto melhor hoje, afinal toda transformação pessoal requer mudança em nossos hábitos. Não podemos fazer tudo imediatamente, mas podemos fazer alguma coisa já.

Importante dizer que toda essa consciência veio nos últimos meses a partir do trabalho que hoje desenvolvo junto à Recriando que conforme o seu slogan: “Recriando toda vida pode ser melhor”.

Flávia Couto - Recriando

ACOMPANHE NOSSO JORNAL NA INTEGRA ↓↓

Comunidade Ecologicamente Correta

Comentários